Amar-se talvez seja o maior desafio dos tempos modernos: em meio a tantos problemas, falta de tempo, perfeccionismo, Photoshop e falta de vínculo emocional, gostar de si mesmo pode parecer errado, egoísta ou até mesmo não ser uma prioridade na vida dos indivíduos.

A maioria das pessoas sabe o que significa amar: sentimentos de desejo intenso, admiração e investimento emocional em alguém são familiares para quase todo mundo. Mas e quando se trata de amor próprio? Esse pode ser um conceito estranho para muitos, por tratar-se de uma combinação de auto aceitação, auto percepção, bondade e respeito próprio. O amor-próprio é tanto conceitual, uma ideia de que você é digno de bondade e respeito próprio, quanto uma ação, porque você se trata com carinho e compaixão.

Simplificando, o amor-próprio é a autoestima positiva em ação. Mas fica a pergunta: por onde começar? Temos abaixo uma sugestão simples, que pode servir como base:

  1. Lembre-se sempre daquilo que você ama sobre si mesmo: Todos erramos. Errar é parte da natureza humana e se punir por isso não vale à pena. Foque-se no que você faz bem, nas coisas que você gosta em si, no que admira sobre quem você se transformou ao longo da vida. Ser resiliente é fundamental, além de exercitar o perdão.
  2. Planejar o futuro é bom, mas não se esqueça de viver o presente: Saber onde quer chegar é ótimo e ter planos concretos para chegar lá, melhor ainda. Só não se esqueça de aproveitar o caminho, de viver o presente e entender que tudo bem algumas pedras no caminho.
  3. Acabe com influências nocivas: Somos criaturas de hábito e quase nunca nos damos conta que alguns deles são nocivos à nossa vida. Reavalie seus costumes e pessoas à sua volta e afaste-se de tudo que seja nocivo ou prejudicial à saúde física ou mental.
  4. Faça algo que te faz feliz, todos os dias: Pequenas coisas podem fazer a diferença no dia a dia: um caminho novo, um sabor diferente, aquela merecida taça de vinho, uma visita inesperada, uma ligação para um amigo distante. Coisas simples que resultam em um sorriso sincero sempre valem a pena.
  5. Não tenha medo de mudanças: Conhecer gente nova, descobrir uma nova paixão, um novo passatempo, um novo talento. Provar coisas diferentes, mudar: de casa, de bairro, de emprego, de cidade. Mudar sempre traz reviravoltas e descobertas e ao invés de evitá-las, tente abraçá-las.
  6. Ouça sua intuição e acredite em si mesmo: Muitas vezes nossos instintos estão certos desde a primeira impressão. Aprenda a ler os sinais da sua mente e aceitar o que seus instintos te dizem. Acredite no seu poder de julgamento, confie nas suas escolhas.
  7. Faça o que quiser, e por si mesmo: Não importa qual o seu objetivo, desde que a peça central seja você mesmo. Você é livre para fazer o que quiser, e suas decisões de vida devem ser baseadas em tudo que te faça mais feliz. Faça por você, e nunca pelos outros. Faça porque sim, você pode (e tem todo direito) de ser feliz.

 

Bibliografia:

https://mulher.terra.com.br/comportamento/psicologa-explica-como-melhorar-a-autoestima,13e3ffba70791741b2a521d86cea295fvfjrizcy.html

http://mdemulher.abril.com.br/estilo-de-vida/m-trends/9-passos-para-aprender-a-se-amar

Leia Também: